LOADING

Type to search

Boston Bruins mais perto do confronto pela Stanley Cup

Notícias Resumos

Boston Bruins mais perto do confronto pela Stanley Cup

Share
Rask foi o destaque dos Bruins na partida contra o Hurricanes

No confronto entre Boston Bruins e Carolina Hurricanes, que terminou em 2-1, Tuukka Rask continuou na sua campanha informal pelo Conn Smythe. O goleiro fez defesas difíceis e essencialmente fechou o gol da equipe da divisão atlântica. Já os Canes pressionaram, porém não conseguiram passar pelo goleiro finlandês mais de uma vez. Teuvo Teravainen, por exemplo, perdeu mais de uma oportunidade clara de marcar em seu compatriota.

Começo de jogo eletrizante

O primeiro período já começou intenso, com Carolina fazendo pressão desde o apito inicial. Com um minuto de jogo, Teravainen atirou no gol vazio, mas acertou o travessão. Em seguida, Brandon Carlo foi punido por delay of game e os Canes foram para o power play. Na vantagem numérica, Micheal Ferland, Nino Niederreiter e Justin Williams tiveram chances, mas não conseguiram converter.

Tuukka Rask fez defesas dificílimas, pois Carolina atacava incessantemente. O time teve outra chance clara com Sebastian Aho, defendida pelo goleiro de Boston. Logo depois, Torey Krug e Williams se estranharam e receberam penalidades de roughing, levando o jogo para o 4 on 4. No final desta penalidade, os Bruins tiveram uma injeção de energia, com um tiro de Jake DeBrusk, defendido por Curtis McElhinney. Em seguida, o arqueiro canadense fez uma defesa em Marcus Johansson.

Questionamento da arbitragem por decisões polêmicas

O primeiro lance polêmico do jogo veio de um gol dos Bruins, que foi anulado pela arbitragem sob a justificativa de goaltender interference. De acordo com a arbitragem, o jogador de Boston teria empurrado o goleiro de Carolina. Assim, interferiu diretamente na possibilidade de defesa. Logo após, o capitão dos Canes foi mandado para a penalty box por holding. Ou seja, ele teria segurado o stick de Krug, com quem já estava se desentendendo desde o início da partida.

O lance seguinte, que levou o jogo para o 4 on 4, também foi polêmico: uma penalidade de slashing de DeBrusk em Jaccob Slavin. Em seguida, David Krejci acertou Aho no rosto. Isso também levou a uma penalidade, desta vez por high sticking, e a partida foi para o 4 on 3. Na vantagem numérica, Carolina não conseguiu converter, mesmo com as tentativas do defensor Dougie Hamilton.

Nervos aflorados nos primeiros 20 minutos

Com o clima esquentando, Niederreiter e Charlie Coyle se estranharam atrás do gol de Rask. Como consequência, o center do Boston Bruins recebeu uma penalidade por roughing. Os dois jogadores foram colegas de equipe durante anos, no Minnesota Wild, de onde foram trocados neste ano. Com os ânimos aflorados, as penalidades continuaram, com Krug indo para o box por roughing e Saku Maenalanen por slashing.

Carolina teve mais um power play com ritmo alucinante, tendo várias chances negadas por Rask. Dentre elas, um tiro para gol de Slavin e o capitão Williams acertando o travessão. Este último, claramente nervoso, recebeu sua terceira penalidade do jogo ainda no primeiro período, por uma cotovelada em Coyle.

Bruins saem na frente no segundo período

A equipe visitante abriu o placar com menos de dois minutos de jogo, com Chris Wagner. Cerca de cinco minutos depois, Marchand marcou no power play, quando Niederreiter cumpria penalidade por high sticking contra Krejci. As chances de Boston continuaram, com Krug atirando para o gol após passe de Johansson. No entanto, nesse momento seu stick quebrou e o puck não foi para a direção do gol.

Carolina reapareceu na partida com uma chance de Aho, e Rask fez mais uma defesa difícil. O finlandês ainda defendeu um desvio de Jordan Staal, antes de levar um gol de Calvin de Haan, que conseguiu passar o puck entre as pernas do goleiro. A pressão do time da casa continuou, com uma jogada de Teravainen com Andrei Svechnikov, que perdeu por pouco. Patrice Bergeron tentou vencer McElhinney no contra-ataque, mas o goleiro dos Canes fez a defesa. No final do segundo período, o momentum era todo dos Hurricanes.

Pressão de Canes, muralha de Rask

Os donos da casa quase empataram o placar com dois minutos do terceiro período, mas Rask defendeu. O jogo estava lá e cá, com os dois times se alternando no ataque. Svechnikov e de Haan tiveram chances, mas o puck mudou de direção e passou do gol. Os Canes continuaram no ataque, mas de Haan cometeu uma penalidade de tripping em Marchand. Assim, os Bruins foram para o power play.

Os visitantes marcam durante esse power play com Krug, mas a arbitragem anulou o gol por interferência de DeBrusk em McElhinney. A decisão foi questionada pela equipe técnica dos Bruins, mas foi mantido o placar em 2-1. Em seguida, Matt Grzelcyk fez uma penalidade de interferência contra Brock McGinn. No entanto, o power play de Carolina não conseguiu empatar a partida.

O placar terminou 2-1, com o Boston Bruins abrindo 3-0 no confronto contra os Canes. Agora, eles têm a chance de terminar a série com uma varrida no próximo jogo, que será na quinta-feira (16).

(Foto: Reprodução/NHL.com)

Tags:

You Might also Like

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

%d blogueiros gostam disto: