LOADING

Type to search

Como funciona a unrestricted free agency na NHL?

Sem classificação

Como funciona a unrestricted free agency na NHL?

Share
Foto UFAS

Enquanto o Canadá tem o seu maior feriado nacional, a NHL tem uma das datas mais importantes da off-season. Com o período de negociações já aberto, os unrestricted free agents podem assinar contratos no Canada Day. É estabelecido o horário do meio-dia (horário de Nova York) do dia 1º de Julho para a abertura da janela. Até lá, os atletas são livres para renovarem com as equipes que detém seus direitos. 

O conceito não veio do hockey, do basquete ou do futebol americano, e sim do baseball. O direito à escolha de onde iria jogar foi conquistado pelos jogadores da Major League Baseball (MLB) em 1976. Para adquirir este direito, os atletas tiveram que buscar a via judicial. Assim, eles ingressavam em uma batalha legal contra os donos dos clubes onde jogavam. O pioneiro foi Curt Flood, três vezes All-Star pelo St. Louis Cardinals, e center fielder habilidoso que ajudou sua equipe a conquistar o World Series duas vezes. 

A origem da free agency

Em 1969 a MLB ainda tinha a chamada reserve clause. Ela fazia com que o clube tivesse os direitos sobre o atleta que draftou até que decidisse transferir o atleta ou dispensá-lo. Além de ter o poder de trocar, liberar, enviar para os minors ou vender os direitos do jogador para outro clube, sem consultá-lo, essa regra não permitia que o atleta assinasse com um novo clube quando seu contrato expirasse. Isso deixava os jogadores à mercê das vontades dos donos. 

Quando Flood foi trocado para o Philadelphia Phillies, ele se recusou a se apresentar ao clube. O caso chegou à Suprema Corte dos Estados Unidos, que determinou que embora ele teria o direito de escolher onde jogar, a cláusula em questão não era ilegal. Além disso, afirmaram que a única forma de adquirir o direito seria lei ou por um acordo coletivo. 

Depois desta decisão, o sindicato dos jogadores de baseball e donos dos clubes chegaram em um acordo para incluir a arbitragem como forma de resolução de disputas. Assim, em 1975, durante uma sessão de arbitragem, Peter Seitz decidiu que todo jogador após um ano sem contrato poderia se tornar um free agent. No ano seguinte, o acordo coletivo da MLB foi emendado para incluir a previsão de que um atleta que jogou seis temporadas teria esse direito.

Unrestricted free agency na NHL

Os jogadores só adquiriram a possibilidade de se tornarem free agents com o acordo coletivo de 1995. Entretanto, no último acordo temos a figura do unrestricted free agent (UFA). Ele é aquele que, após anos de experiência profissional, pode escolher para qual clube jogar quando seu contrato expirar.

Existem quatro  tipos de UFAs na NHL: grupo 3, grupo 5, grupo 6 e UFA em decorrência do draft.

Grupo 3Jogadores com sete temporadas de experiência profissional ou pelo menos 27 anos de idade quando seu contrato expirar
Grupo 5Jogadores com 10 ou mais temporadas profissionais, que em seu último ano de salário ganhou menos do que a média sala rial na Liga, caso não tenha virado free agent antes
Grupo 6 Jogador com 25 ou mais anos, com três de experiência profissional, mas que jogou menos de 80 jogos na NHL (caso for atacante ou defensor) ou menos de 28 jogos na NHL (caso for goleiro)
UFA em decorrência do draftCaso o jogador não seja mais elegível para o próximo draft e não estiver na lista reserva de algum clube, ele se tornará um UFA

Embora o acordo coletivo preveja essas várias situações, a forma mais comum de se chegar à unrestricted free agency na NHL é como um jogador do grupo 3. Assim, por seu contrato se encerrar no dia 30 de junho, ele estará livre para assinar um novo contrato com o clube que desejar no dia 1º de Julho. Por coincidir com o feriado de maior repercussão no país, o Canadá volta suas atenções para o frenesi de contratações quando a janela se abre. 

Em quem ficar de olho nesta segunda-feira

ARTEMI PANARIN, LW, COLUMBUS BLUE JACKETS/RÚSSIA

Não é nenhum segredo que o russo iria embora de Ohio ao final de seu contrato, mesmo após a temporada histórica dos Jackets. As maiores apostas para o destino do ganhador do Calder de 2016 são as equipes de Nova York (Rangers e Islanders) e o Florida Panthers, que teriam espaço no cap para o valor pedido por ele. Em 332 jogos na NHL, Panarin tem 116 gols e 204 assistências.

JOE PAVELSKI, C, SAN JOSE SHARKS/EUA

Quando começou-se a especular que o capitão dos Sharks deixaria San José, muito se perguntou se não tratava apenas de rumores infundados. Entretanto, Pavelski se reuniu com a equipe do Dallas Stars e do Tampa Bay Lightning, mas parece estar mais próximo da equipe do Texas. O veterano tem 963 jogos, com 355 gols e 406 assistências, todos pela equipe da Califórnia. 

MATT DUCHENE, C, COLUMBUS BLUE JACKETS/CANADÁ

O center canadense foi trocado para Columbus em uma trade deadline agitada, e até demonstrou estar disposto a ficar por lá. Todavia, atualmente os dois clubes que estão na frente para assinar com ele são Montreal e Nashville. Em 727 jogos, o canadense tem 232 gols e 315 assistências. 

ANDERS LEE, LW, NEW YORK ISLANDERS/EUA

Lee foi um crítico da saída de Tavares da equipe, mas pode ser que siga o mesmo caminho. O capitão dos Isles tem 152 gols e 106 assistências em 425 partidas. As equipes no páreo são Colorado Avalanche, Minnesota Wild, Chicago Blackhawks e, claro, o próprio New York Islanders.

SERGEI BOBROVSKY, G, COLUMBUS BLUE JACKETS/RÚSSIA

Não é novidade que Bob estava infeliz em Columbus, tendo inclusive sido punido por indisciplina. O goleiro russo, que já ganhou o Vezina, deve assinar com o Florida Panthers amanhã. Após o anúncio da aposentadoria de Luongo e da troca de James Reimer, podemos cravar que ele será o arqueiro da equipe na próxima temporada. Em 457 jogos, o russo tem uma porcentagem de defesa de .919, uma média de 2.42 gols sofridos por partida e 33 shutouts. 

Com a extensão de Karlsson assinada, os outros defensores no mercado definitivamente serão beneficiados, especialmente os destros.

TYLER MYERS, D, WINNIPEG JETS/CANADÁ

O canadense é grande e destro, dois atributos que são muito visados em defensores. Entretanto, o fato de ter 29 anos e buscar um contrato de sete, podem dissuadir clubes de tentar assiná-lo. Isso porque o custo benefício a partir do meio do contrato pode ser um empecilho devido ao salary cap.

JAKE GARDINER, D, TORONTO MAPLE LEAFS/EUA

Embora o defensor tenha tido problemas de saúde por uma lesão nas costas, ele ainda é uma commodity no mercado. Gardiner tem 245 pontos em 551 jogos, e foi peça importante na reconstrução do Toronto Maple Leafs. 

Além disso, jogadores como Mats Zuccarello, Corey Perry e Gustav Nyquist, todos UFAs, possivelmente terão novas casas amanhã. Não quer perder nenhuma novidade? Se liga na cobertura do NHeLas no Twitter e no Instagram amanhã (01) a partir das 13h!

(Foto: NHL.com/Reprodução)

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

%d blogueiros gostam disto: